Google
 

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

O Carro Assombrado de James Dean

   Depois que Dean ter trabalhado no filme “Vidas Amargas”,na primavera de 1955, o ator se dedicou às corridas de carro com seu Porsche 356 Speedster tendo chegado em segundo lugar na corrida de Palm Springs Road, em terceiro em Bakersfield e em quarto lugar na corrida de Santa Monica.
Mesmo estando set de filmagens do filme “Juventude Transviada”, ele conseguiu negociar o Speedster por um Porsche 550 Spyder – uma das raras 90 unidades que haviam sido fabricadas deste modelo.
Enquanto participava das filmagens de “Assim Caminha a Humanidade” , ele estava contratualmente proibido de participar de corridas,mas assim que terminou o filme ele estava livre para competir novamente.
O ator pediu então a Georges Barris, (o homem que mais tarde seria responsável pelo design do Batmóvel) para personalizar seu novo Porsche. O carro sofreu alterações nos bancos, recebeu duas listras vermelhas sobre a as rodas traseiras e o número 130 pintado no capô, nas portas, e sobre a tampa do motor.

O apelido de "Little Bastard” dado pelo assistente de idioma, Bill Hickman agradou tanto a James Dean que ele pediu para escrevê-lo no carro.

Em 23 de Setembro,  Dean mostrou o carro para o ator Alec Guinness, o mesmo que décadas mais tarde representaria o Jedi Obi-WAN Kebobi no filme Guerra nas Estrelas. O amigo então teria lhe dito que o carro parecia "sinistro" chegando ao ponto de alertar Dean: "Se você dirigir este Porsche, você vai morrer na próxima semana" . Sete dias mais tarde, Dean iria realmente morrer no seu amado “Little Bastard”.


Em 30 de Setembro, o Porsche 550 Spyder foi preparado por Dean e seu mecânico Rolf Wütherich para uma corrida de automóveis esportivos em Salinas na Califórnia.

Dean queria levar o Porsche Spyder até Salinas no reboque de sua station wagon. Nesta viagem lhe acompanhariam Bill Hickman e o fotógrafo Sanford Roth, que planejavam um documentário chamado "James Dean nas Corridas".

Mas no último minuto, Dean decidiu que precisava de mais tempo para familiarizar-se com o Porsche e resolveu levá-lo dirigindo. Rolf Wütherich foi sentado ao lado dele.

Às 15: 30  da tarde , James Dean foi multado no Condado de Kern, por dirigir a 105 km/hora em uma zona de 88 km/hora. Ele foi então dirigindo para oeste perto de Cholame, na Califórnia.
Num certo trecho da estrada um Ford, vindo na direção contrária pretendia entrar num acesso a uma outra estrada.
Sem ver o carro de Dean terminou entrando na sua pista vindo a colidir frontalmente contra o Porsche do ator.

Na direção do Ford estava um estudante chamado Donald Turnupseed, de 23 anos de idade.

O policial rodoviário Ron Nelson e seu parceiro foram chamados para a cena do acidente e encontraram Turnupseed lá com um corte na testa e o nariz bastante machucado. Wütherich tinha sido arremessado para fora do Porsche e estava com o maxilar fraturado além de outras lesões.

James Dean foi colocado numa ambulância respirando com muita dificuldade. Ele foi levado para o Paso Robles War Memorial Hospital mas já chegou sem vida no setor de emergência. Eram 5: 59 h do dia 30 de Setembro de 1955.

Suas últimas palavras, pouco antes do impacto, foram: "Esse cara tem que parar!... Ele vai nos ver"!

O tal "Little Bastard" não só matou James Dean, mas também deixou mortas ou mutiladas outras pessoas que tiveram contato com ele. Isso fez com que muitos acreditassem que o veículo era amaldiçoado.

George Barris, que havia personalizado o Porsche de Dean originalmente, comprou a carcaça do "Little Bastard" por 2500 dólares. Pouco tempo depois o carro escapou do reboque e quebrou a perna de um mecânico. Alguns dias depois, Barris vendeu o motor e outras peças para Troy McHenry e William Eschrid.

Quando os dois participavam de uma corrida de carros  usando peças do "Little Bastard",  McHenry perdeu o controle e bateu numa árvore morrendo instantaneamente. Eschrid ficou gravemente ferido quando seu carro subitamente travou e capotou ao entrar numa curva.

Barris manteve o carro em seu poder enquanto ia vendendo algumas peças. As duas rodas que incrivelmente tinham ficado intactas no acidente fatal de Dean, ele vendeu para um homem que poucas semanas depois teve o carro jogado para fora da estrada quando os dois pneus estouraram ao mesmo tempo.

Algum tempo depois, dois ladrões tentaram roubar algumas peças de Barris. Um deles teve o braço rasgado ao tentar arrancar o volante, enquanto o outro foi ferido tentando remover o banco ensangüentado de Dean.

Os incidentes envolvendo o "Little Bastard", fizeram com que Barris decidisse esconder o carro. Mas logo ele foi convencido pela Polícia Rodoviária da Califórnia a emprestar a carcaça para ficar em exposição no sentido de conscientizar as pessoas sobre a responsabilidade ao dirigir.

A primeira exposição foi malsucedida pois a garagem que abrigava o carro incendiou tendo queimado até o chão. Misteriosamente o carro não sofreu praticamente nenhum dano pelo fogo. A próxima exposição em uma escola local terminou abruptamente quando o carro caiu do suporte de exibição e quebrou o quadril de um estudante que estava próximo.

A maldição do carro de James Dean continuou. Certa vez quando o "Little Bastard" estava sendo transportado por um caminhão, o motorista perdeu o controle do veículo e capotou vindo a ser esmagado pelo carro amaldiçoado.

O Porsche de James Dean caiu de mais dois caminhões ao ser transportado não tendo felizmente ferido mais ninguém.

A polícia de Chicago a essas alturas já estava farta do "Little Bastard" e enquanto o transportavam, o carro misteriosamente desapareceu e não foi mais visto desde então.

Há rumores de que uma única peça ainda existe e está guardada no Museu da História do Automobilismo de Illinois.


Referência:
http://www.rstri.com/
http://daniel-eloi.blogspot.com/

Aviso

Os textos e fotos deste blog somente poderão ser reproduzidos mediante autorização por escrito de seus autores. Se você encontrar aqui algum texto ou foto que esteja infringindo algum direito seu ou de outrem avise-nos deixando um comentário junto ao post que retiraremos assim que for constatada a irregularidade.